26 de outubro de 2021
  • Gastronomia.com España
  • Gastronomia.com México
  • Gastronomia.com Perú
  • Gastronomia.com Colombia
  • Gastronomia.com Paraguay
  • Gastronomia.com Argentina
  • Gastronomia.com Ecuador
  • Gastronomia.com USA
Síguenos en  

21 de maio de 2018
Valoración  52 (2)
7 fatos surpreendentes sobre o pão
FacebookTwitterLinkedin
Mais de 10.000 anos atrás, os homens já estavam fazendo pão. Não exatamente como o atual, já que naquela época as leveduras e os processos de fermentação eram desconhecidos, mas sim uma mistura cozida de cereais e água. A partir daí, surgiram numerosos "preparativos" que deram origem ao pão que todos conhecemos e consumimos.
 
Mas onde nasceu no pão? "Bem, segundo muitos especialistas, ele foi criado no antigo Egito há cerca de 4.000 anos e foi feito com cerveja", explica o mestre padeiro Moncho López, co-proprietário das padarias e coffee bakeries Levaduramadre.
 
De alimentos para ricos a produtos proibidos





1. Cerveja e pão nasceram ao mesmo tempo. Parece provado que o uso da massa de pão fermentada começou com farinhas que haviam sido contaminadas durante o processo de fermentação da cerveja há mais de 40 séculos no Egito.
 
2. Apenas para os privilegiados. A primeira academia gastronómica do mundo surgiu para a formação de padeiros na Grécia antiga, chamava-se Colegio Cocucrum e lá aprenderam a fazer os diferentes tipos de pão que preparavam com formas muito elaboradas. "Os produtos desses professores eram tão sofisticados e caros que apenas as famílias mais ricas podiam comprá-los", diz Moncho López.
 
3. Você sabia que o pão fatiado foi proibido nos EE.UU. por alguns meses? Durante a Segunda Guerra Mundial, a preparação industrial de fatias de pão foi evitada porque as autoridades alegaram que consumiam muita energia e trabalho na corte e gastavam muito papel de cera para sua conservação. "A medida durou apenas três meses porque as donas de casa de todo o país encheram de cartas de protesto a Casa Branca e porque mostraram que a poupança era insignificante", explica Moncho.
 
4. Como saber se um pão é de qualidade. "Se for muito leve e tiver a forma da grade marcada na base, não é um artesão. Um pão feito à mão e com tempo suficiente para a fermentação, tem muito mais peso do que o preparado industrialmente com impulsores químicos", diz Moncho que acrescenta: "se você ver a forma da grelha na base do pão, é normal que foi assado em forno industrial. Aqueles que são feitos em fornos tradicionais têm uma base suave ".
 
5. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, pão integral e pão branco têm praticamente as mesmas calorias, "a diferença entre eles é a fibra que tem pão integral que além de nos satisfazer antes, nos ajuda com a digestão, por isso é recomendado em dietas", diz Moncho.
 
6. A melhor maneira de preservar o pão em casa é envolvê-lo em um papel ou pano espesso e grosso, depois de esfriar completamente. Mais tarde, podemos colocá-lo em uma cesta de madeira ou lama. "Eu sempre recomendo que você evite armazená-lo em plástico e menos ainda se ainda estiver quente".
 
7. Baixo em espírito? O pão ajudará você a melhorar. Comer carboidratos, como o pão integral, ajuda a melhorar o humor, fazendo que o cérebro libere a serotonina. Além disso, grãos integrais também contêm selênio, um mineral associado ao alívio de alguns dos sintomas da depressão.

Valora esta noticia 

 

Top videos

EVENTOS
FIBEGA Buenos Aires 2017
10 de outubro de 2017
(43)
Del 15 al 17 de septiembre se celebró en La Rural, Buenos Aires, FIBEGA, la Feria Iberoamericana de Gastronomía, que reunió a los destinos gastronómicos mundiales más relevantes, el II Congreso Iberoamericano de Gastronomía y el Encuentro Iberoamericano de Chefs. Países como Perú, México, Argentina, Uruguay, Brasil, Guatemala o País Vasco mostraron su riqueza y diversidad gastronómica; y representantes de diferentes sectores relacionados con la cocina como los chefs Germán Martitegui, Andoni Luis Aduriz o José del Castillo, ofrecieron showcookings y presentaciones. Un túnel del vino, en el que se ofrecieron catas y degustaciones de los vinos y bebidas más representativas y sorprendentes, y diferentes espacios de degustación y mercado. 3 jornadas de celebración de la cultura gastronómica de Iberoamérica que reunieron a más de 22.000 visitantes.