21 de janeiro de 2019
  • Gastronomia.com España
  • Gastronomia.com México
  • Gastronomia.com Perú
  • Gastronomia.com Colombia
  • Gastronomia.com Paraguay
  • Gastronomia.com Argentina
  • Gastronomia.com Ecuador
  • Gastronomia.com USA
Siga-nos no  

3 de janeiro de 2019
Avaliação  51 (1)
Mandioca: exemplo de multiculturalismo
FacebookTwitterGoogle PlusLinkedin
O Equador é um país muito biodiverso e multicultural, sua gastronomia é o melhor exemplo disso. Cada região prepara seus pratos mais tradicionais com seus produtos mais típicos, criando suas próprias combinações e receitas.

A mandioca é o quarto produto básico mais importante no Equador, depois do arroz, trigo e milho. É cultivado e consumido em todas as províncias do país, inclusive em Galápagos. É um cultivo tradicional e seu uso na cozinha dependerá de cada uma das regiões.




Existem muitas variações de mandioca, de fato, no povo Kichwa, 31 tipos diferentes de mandioca foram encontrados (28 brancos com amido e 3 amarelos). Todos eles são usados como alimentos ou para fins medicinais. No entanto, não apenas variam sua cor, sua forma também varia, elas podem ser longas, pequenas, finas ou grossas.

Nativa da América Tropical, é uma fonte econômica de calorias e podemos citar alguns pratos que são baseados neste tubérculo, como locro de mandioca, sancocho de mandioca, menestra de mandioca, pão de mandioca, muchines, tamales e a bebida tradicional, chicha. Cada um desses alimentos reflete uma cultura e região diferentes.

Além de ser tão versátil, possui boas propriedades, como carboidratos complexos e alto teor de vitaminas, minerais e fibras. Serve como um desintoxicante e tem efeitos depurativos. Como já mencionamos, a mandioca é a base da chicha e esta bebida é um ícone da Amazônia equatoriana. É por isso que a mandioca tem um grande valor simbólico nesta região.
 
Diana Ramírez R.
 
Créditos da imagem: Pinterest (NutriOptima)

Valora esta noticia 

 

Top videos

EVENTOS
10 de outubro de 2017
(41)
Del 15 al 17 de septiembre se celebró en La Rural, Buenos Aires, FIBEGA, la Feria Iberoamericana de Gastronomía, que reunió a los destinos gastronómicos mundiales más relevantes, el II Congreso Iberoamericano de Gastronomía y el Encuentro Iberoamericano de Chefs. Países como Perú, México, Argentina, Uruguay, Brasil, Guatemala o País Vasco mostraron su riqueza y diversidad gastronómica; y representantes de diferentes sectores relacionados con la cocina como los chefs Germán Martitegui, Andoni Luis Aduriz o José del Castillo, ofrecieron showcookings y presentaciones. Un túnel del vino, en el que se ofrecieron catas y degustaciones de los vinos y bebidas más representativas y sorprendentes, y diferentes espacios de degustación y mercado. 3 jornadas de celebración de la cultura gastronómica de Iberoamérica que reunieron a más de 22.000 visitantes.