15 de setembro de 2019
  • Gastronomia.com España
  • Gastronomia.com México
  • Gastronomia.com Perú
  • Gastronomia.com Colombia
  • Gastronomia.com Paraguay
  • Gastronomia.com Argentina
  • Gastronomia.com Ecuador
  • Gastronomia.com USA
Siga-nos no  

8 de janeiro de 2019
Avaliação  53 (3)
Malagueta Chilhuacle
FacebookTwitterGoogle PlusLinkedin
A Malagueta Chilhuacle, ou Chile Chilhuacle, ("chile viejo" em Nahuatl) é uma variedade de malagueta pertencente à família Capsicum annuum. É um tipo de malagueta ligado principalmente com a gastronomia de Oaxaca (México) e é o ingrediente estrela na elaboração de mole preto, amarelo e vermelho.

Existem três variedades de malaguetas chilhuacle: o chilhuacle preto, vermelho e o amarelo.




O Chilhuacle Preto é um pimentão que chama a atenção por causa de sua cor (marrom escuro) e seu sabor surpreendente: é um pimentão ligeiramente picante, cujo sabor lembra chocolate, tabaco e tem nuances esfumaçadas. Na cozinha está presente na preparação de mole preto, molhos, recheios, etc.

Por outro lado, o Chilhuacle Vermelho é um pimentão de cor vermelho escuro com tons pretos. Destaca-se por ser uma malagueta com um ligeiro toque picante. É um dos mais usados e com mais tradição na região, principalmente na produção de mole vermelha.

Finalmente, o Chilhuacle Amarelo, tem uma cor que varia de amarelo a laranja. É usado na preparação de mole amarela.

Entretanto, ainda que a malagueta chilhuacle seja um produto enraizado na cultura e tradição gastronômica de Oaxaca, nos últimos anos seu cultivo diminuiu significativamente devido aos seus altos custos de produção e que só é cultivado em territórios muito pequenos. Atualmente, chefs de referência mexicana como Ricardo Muñoz Zurita ou Enrique Olvera estão trabalhando para evitar seu desaparecimento.

Valora esta noticia 

 

Top videos

EVENTOS
10 de outubro de 2017
(43)
Del 15 al 17 de septiembre se celebró en La Rural, Buenos Aires, FIBEGA, la Feria Iberoamericana de Gastronomía, que reunió a los destinos gastronómicos mundiales más relevantes, el II Congreso Iberoamericano de Gastronomía y el Encuentro Iberoamericano de Chefs. Países como Perú, México, Argentina, Uruguay, Brasil, Guatemala o País Vasco mostraron su riqueza y diversidad gastronómica; y representantes de diferentes sectores relacionados con la cocina como los chefs Germán Martitegui, Andoni Luis Aduriz o José del Castillo, ofrecieron showcookings y presentaciones. Un túnel del vino, en el que se ofrecieron catas y degustaciones de los vinos y bebidas más representativas y sorprendentes, y diferentes espacios de degustación y mercado. 3 jornadas de celebración de la cultura gastronómica de Iberoamérica que reunieron a más de 22.000 visitantes.